Sean (filho) e David (pai) Goldman, marionetes nas mãos da família Lins e Silva

Não sei se já viram algum notícia sobre o menino Sean Goldman, sequestrado pela mãe e que depois da morte desta, tornou-se "propriedade" de Paulo Lins e Silva e dos co-sequestradores avós maternos.

O pai verdadeiro vem lutando na justiça americana e brasileira para tentar reaver o filho mas como a família do posseiro é essa aí, o caso vem se arrastando na justiça.

Ultimamente o "posseiro" e sua trupe vem dando algumas entrevistas, na tentativa de trazerem a opinião pública para o lado deles, com desculpas de que o menino adora a avó, que está bem e feliz. O menino adora a avó? Certo. E não tem o direito de adorar seu genitor também? Segundo o "proprietário" Paulo Lins e Silva, a resposta é não.

Vamos nós, mães, tentar viajar com nosso filho para uma cidade ou estado vizinho. Os fiscais só vão nos deixar seguir viagem se apresentarmos alguma declaração do pai. Mas no caso se Sean Goldman, menino que virou "propriedade", basta à justiça brasileira tomar conhecimento dos desejos e mimos do "dono" de Sean Goldman. E o pai genitor? Provavelmente a tal vovó, citada como co-sequestradora e provavelmente uma egoísta sem-vergonha, deve estar pensando algo parecido como: "que se exploda!"

http://www.bringseanhome.org/
http://www.circuitomt.com.br/home/materia/15899
http://conversadelas.com/?p=1183
http://meiobit.pop.com.br/meio-bit/internet/sean-goldman-internet-e-a-arcaica-justica-brasileira

06/04/2009 - Incrível

O post acima teve a intenção de provocar a reflexão dos visitantes. Pensei que fosse deparar-me com algumas mensagens reclamando da forma sensacionalista e emotiva que utilizei. O mais incrível é que as pessoas se calaram, aceitaram meus comentários sem mais nem menos.

Enfim, o caso do menino Sean pede uma análise mais profunda e fria da questão. Qualquer que seja a decisão da justiça, o menino sairá perdendo.

A família morava nos Estados Unidos, a mãe armou uma desculpa para vir ao Brasil com o menino e nunca mais retornou, distanciando o pai do filho e vice-versa. Aqui no Brasil, o pai tem encontrado muitas dificuldades para ter o filho de volta mesmo depois da morte da mãe. E ponto final... Ou não.

Bjs


Atualização em 17/12/2009. Jornal O Dia Online:

Pai do menino Sean Goldman desembarca no Rio

POR AMANDA PINHEIRO

Rio - O americano David Goldman, pai do menino Sean Goldman, desembarcou na tarde desta quinta-feira no aeroporto Internacional Tom Jobim, de um voo procedente de Nova Iorque. O voo chegou ao Tom Jobim às 13h27. Goldman veio acompanhado de advogados e foi recebido por membros do Consulado Americano no Rio. O comboio de carros seguiu acompanhado por policiais até um hotel na Avenida Atlântica, em Copacabana, na Zona Sul do Rio.

Advogados da família brasileira de Sean Goldman avisaram que só vão se pronunciar tão logo Supremo decida sobre o habeas-corpos. Durante o voo, David concedeu uma entrevista a uma equipe da rede de TV CNN, que o acompanhou na viagem, e afirmou: "Espero voltar pra casa com meu filho".

Na quarta-feira, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região, no Rio de Janeiro, determinou que o menino Sean Goldman, 9 anos, deveria ser entregue seu pai biológico, o americano David Goldman. A criança terá que ser entregue ao Consulado americano no Rio.

A polêmica sobre a guarda de Sean mobilizou o Brasil e EUA a ponto de o presidente americano, Barack Obama, interceder junto ao presidente Luís Inácio Lula da Silva durante reunião em Washington.

ENTENDA O CASO

O menino nasceu e viveu até 2004 nos EUA, quando sua mãe, a brasileira Bruna Bianchi, disse ao marido que viria com ele passar férias no Brasil. Eles não retornaram. Depois Bruna se separou, se casou de novo no Brasil e, no ano passado, morreu no parto de sua filha com o advogado João Lins e Silva. Desde então, Sean está sob a custódia provisória de seus avós maternos e de seu padrasto, que tentam garantir judicialmente a guarda.

Os avós maternos de Sean apresentaram segunda-feira, no Supremo Tribunal Federal (STF), um pedido de habeas corpus cautelar e com caráter de urgência para impedir que ele saia do País sem que o menino diga a um juiz o que deseja, se ficar no Brasil ou viver nos EUA com o pai biológico.

O Supremo Tribunal Federal ainda não deu seu parecer, mas já se manifestou anteriormente sobre o caso e decidiu que a competência cabe à Justiça do Rio de Janeiro. Além disso, rejeitou outro pedido de habeas corpus apresentado em 30 de julho.

MEMÓRIA

A história da luta do americano David Goldman para reaver a guarda do filho mobilizou a opinião pública e o governo americano. Lá, a defesa da volta do menino aos EUA é praticamente uma unanimidade. A secretária de Estado, Hillary Clinton, sempre destacou a posição americana pela volta de Sean em reuniões com autoridades brasileiras. David esteve no Brasil este ano para acompanhar julgamento no STF, em junho, quando o tribunal determinou que a Justiça Federal do Rio tomasse a última decisão.

Em março, amigos e parentes de Bruna e João mobilizaram 300 pessoas em protesto na orla pela permanência do menino no Brasil.

http://odia.terra.com.br/portal/rio/html/2009/12/pai_do_menino_sean_goldman_desembarca_no_rio_53779.html

Faço votos para que o pai biológico finalmente consiga a guarda do seu filho e que possam passar o Natal juntos. 

Bjs ao menino Sean e ao David.

=========

2ª Atualização, respondendo à "priscila" (sem link), nos comentários:


Oi, Priscila.

Assim que acabei de postar a atualização recebi a última e infeliz notícia sobre o caso do menino Sean Goldman e o pai, David Goldman.

Fui pesquisar um pouquinho no Google e li numa reportagem que "O americano David Goldman está proibido de mencionar em seu site Bring S. Home (Traga S. para casa) o nome dos advogados Paulo Lins e Silva e João Paulo Lins e Silva. Está obrigado também a retirar do ar as ofensas feitas contra os dois advogados."

Quanto as ofensas, tudo bem. Mas proibir de mencionar os nomes dos advogados da avó materna? Um deles, inclusive teve um caso com a Bruna, a mãe sequestradora, que chegou ao casamento.

Aos que não estão entendendo nada, sugiro a leitura completa de toda essa história nos dois links abaixo:

Jus Brasil:
http://www.jusbrasil.com.br/noticias/161054/americano-briga-com-brasileiro-pela-guarda-do-filho-david-goldman-pede-na-justica-o-direito-de-levar-para-os-eua-o-filho-que-teve-com-uma-brasileira-e-que-depois-da-morte-da-mae-ficou-sob-a-guarda-do-padrasto-no-brasil

Consultor Jurídico: http://www.conjur.com.br/2008-nov-03/americano_briga_brasileiro_guarda_filho

Só não concordo em dizer que David está "brigando pela guarda do filho". Na realidade, David Goldman está lutando pelo direito de ser pai de seu próprio filho.

Beijinhos carinhosos

14 comentários:

Anônimo disse...

Agora que a mãe morreu fica dificil saber quais motivos a fizeram fugir da terra dos sonhos com seu filho.
"Mãe é uma certeza, pai é uma presunção."
"Pai é o que cria"
São frases da sabedoria popular mas que teem sua razão.

Se o genitor, ama de fato o filho, terá que conquistá-lo afetivamente. Terá que provar para a criança que é merecedor do seu afeto e confiança.

O genitor está proibido de ingressar no Brasil? Quantas vezes já visitou seu filho nestes últimos anos?

Elida Kronig disse...

Oi, Anônimo. A questão merece muito mais atenção do que uma simples conclusão retirada da sabedoria popular.
O pai não tem condições de conquistar afetivamente o filho se a lei brasileira o impede de ter a guarda do filho e consequentemente, prejudica o reparo afetivo dos laços familiar entre ambos. Lembre-se de que para que o pai visite o filho não basta apenas pegar um ônibus e descer alguns pontos depois, há uma distância considerável entre os dois que não deve ser ignorada.

Como eu disse, o caso do menino Sean pede uma análise mais profunda e fria da questão.

beijinhos carinhosos

Elida Kronig disse...

"Thank you for signing the petition to bring Sean Goldman home. We received amazing news from the BringSeanHome.org campaign today and want to share it with you. A federal judge in Brazil has ordered the return of Sean Goldman to the United States in 48 hours! Below is the email we just received from BringSeanHome.org - please share this wonderful news with your friends and thank you so much for helping reunite David with his son. As soon as we get word that Sean is finally home with his dad David, we will let you know."
-----------------------------
"June 1, 2009

Dear Friends and Supporters of David Goldman,

Victory at Last! Brazilian Federal Judge Rafael de Souza Pereira Pinto issued an 80 page ruling today ordering the return of Sean Goldman to the United States in 48 hours.

David left for Brazil this evening (Monday) and will be reunited with Sean on Wednesday June 3rd at 2:00 PM local time at the U.S. Consulate in Rio De Janeiro.

We wish to express our sincere appreciation to everyone who has supported David Goldman's +4 year battle for justice. It wasn't just a few people but hundreds of thousands of supporters around the world that made this happen. Tonight the we can say that the power of people working together has no limits, and surely the millions of prayers for David and Sean were heard.

Additional information, when available, will be posted on our website's FORUMS. www.bringseanhome.org/forum.

Friends of David Goldman"

Anônimo disse...

Um absurdo esse caso todo, o Lins e Silva não está nem aí pro garoto só tá medindo força.

"STF suspende ordem para que menino Sean volte aos EUA

Brasília - O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu nesta terça-feira a decisão de que o menino Sean Goldman, 8 anos, retornasse imediatamente aos Estados Unidos, onde mora o pai biológico, o americano David Goldman. Ele e o padrasto do menino, o advogado João Paulo Lins e Silva, disputam a guarda de Sean desde o início do ano.

Ontem, o juiz Rafael Ferreira Pinto, da 16ª Vara Federal do Rio de Janeiro, determinou que Sean deveria ser entregue a uma funcionária do consulado americano e monitorado por agentes da Polícia Federal, que deviam garantir seu retorno aos Estados Unidos em 48 horas.

Sean é filho de Goldman com a modelo brasileira Bruna Bianchi, que morreu em agosto de 2008 durante o parto de sua segunda filha. Na época, Bruna estava separada de Goldman e vivia com Lins e Silva. Goldman solicitou a guarda de Sean em 2004, quando Bruna viajou para o Rio para visitar os pais e não retornou aos Estados Unidos."

Elida Kronig disse...

Oi, Anônimo.

Pena que não deixou o link da notícia mas não deve ser difícil encontrar.
Continuarei torcendo pelo David.

Beijinhos carinhosos

Elida Kronig disse...

http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI3802118-EI306,00-STF+suspende+ordem+para+que+menino+Sean+volte+aos+EUA.html

Partido Progressista: "Para o partido, a sentença viola os preceitos de dever de proteção à família e à criança." Proteção à família? Esse tal "Partido Progressista" está falando sério?

Elida Kronig disse...

O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu nesta terça-feira a decisão de que o menino Sean Goldman, 8 anos, retornasse imediatamente aos Estados Unidos, onde mora o pai biológico, o americano David Goldman. Ele e o padrasto do menino, o advogado João Paulo Lins e Silva, disputam a guarda de Sean desde o início do ano.

Sean é filho de Goldman com a modelo brasileira Bruna Bianchi, que morreu em agosto de 2008 durante o parto de sua segunda filha. Na época, Bruna estava separada de Goldman e vivia com Lins e Silva. Goldman solicitou a guarda de Sean em 2004, quando Bruna viajou para o Rio para visitar os pais e não retornou aos Estados Unidos.

O caso de Sean foi parar nas grandes redes de televisão e jornais americanos. A história foi tema especial nos programas Larry King Live e NBC Today Show, onde a secretária de Estado, Hillary Clinton, defendeu que a guarda do garoto fosse do pai biológico.

Ontem, o juiz Rafael Ferreira Pinto, da 16ª Vara Federal do Rio de Janeiro, determinou que Sean deveria ser entregue a uma funcionária do consulado americano e monitorado por agentes da Polícia Federal, que deviam garantir seu retorno aos Estados Unidos em 48 horas.

A decisão do juiz Rafael Pinto foi questionada pelo Partido Progressista (PP) na tarde desta terça-feira, por meio de um arguição de descumprimento de preceito fundamental. Para o partido, a sentença interpretou a Convenção de Haia sem levar em conta os direitos e os preceitos fundamentais da criança, em desacordo com o que já foi decidido em outros casos concretos.

Para o partido, a sentença viola os preceitos de dever de proteção à família e à criança. A defesa sustenta ser evidente a ameaça de lesão ao direito do menino que, "sendo obrigado a deixar seu país, o Brasil, não terá acesso ao contraditório e à ampla defesa, constitucionalmente garantidos, através do inciso LV, do artigo 5º".

Para o partido, o menor não deve ser mandado aos Estados Unidos "de forma abrupta, decidida subtamente", uma vez que ele é brasileiro nato e tem o Brasil como sua residência habitual já há quase cinco anos. O PP destacou que, conforme previsto pela própria Convenção de Haia, para "o desenvolvimento harmonioso de sua personalidade, a criança deve crescer em meio familiar, em clima de felicidade, de amor e de compreensão".

Marco Aurélio considerou que a liminar se justifica pela urgência do pedido. A decisão do ministro terá de passar pelo referendo do Plenário do STF.

Redação Terra

priscila disse...

Oi Elida. A fdp egoísta da avó materna conseguiu o habeas corpus. O menino Sean Goldman não vai voltar com o pai. É uma putaria o que a justiça do brasil está fazendo neste caso. bjs

Elida Kronig disse...

Oi, Priscila.
Assim que acabei de postar a atualização recebi a última e infeliz notícia sobre o caso do menino Sean Goldman e o pai, David Goldman.
Fui pesquisar um pouquinho no Google e li numa reportagem que "O americano David Goldman está proibido de mencionar em seu site Bring S. Home (Traga S. para casa) o nome dos advogados Paulo Lins e Silva e João Paulo Lins e Silva. Está obrigado também a retirar do ar as ofensas feitas contra os dois advogados."
Quanto as ofensas, tudo bem. Mas proibir de mencionar os nomes dos advogados da avó materna? Um deles, inclusive teve um caso com a Bruna, a mãe sequestradora, que chegou ao casamento.

Aos que não estão entendendo nada, sugiro a leitura completa de toda essa história nos dois links abaixo:

Jus Brasil:
http://www.jusbrasil.com.br/noticias/161054/americano-briga-com-brasileiro-pela-guarda-do-filho-david-goldman-pede-na-justica-o-direito-de-levar-para-os-eua-o-filho-que-teve-com-uma-brasileira-e-que-depois-da-morte-da-mae-ficou-sob-a-guarda-do-padrasto-no-brasil

Consultor Jurídico: http://www.conjur.com.br/2008-nov-03/americano_briga_brasileiro_guarda_filho

Só não concordo em dizer que David está "brigando pela guarda do filho". Na realidade, David Goldman está lutando pelo direito de ser pai do próprio filho.

Beijinhos carinhosos

Anônimo disse...

o caso todo fede muito
o juiz do STF que julgou o habeas corpus da Silvana Bianchi C. Ribeiro é primo do Fernando Collor de Mello.. não acha curioso?
No Wiki diz que ele é conhecido, de forma pejorativa, como “Voto Vencido”, pela freqüência de vezes em que fica isolado nas decisões do tribunal. Em Julho de 2000 concedeu habeas corpus a Salvatore Alberto Cacciola, proprietário do falido Banco Marka e supostamente responsável por um prejuízo estimado em 1,5 bilhão de reais aos cofres públicos. Cacciola viajou para a Itália logo em seguida e lá viveu foragido até setembro de 2007 quando foi preso em Mônaco (em abril de 2005, a Justiça Federal do Rio de Janeiro condenou Cacciola a treze anos de prisão por peculato e gestão fraudulenta). Comentando este episódio sobre a nova prisão de Cacciola, Marco Aurélio de Mello disse que repetiria a concessão de habeas corpus[3].

Em outra atitude considerada polêmica, Marco Aurélio de Mello foi o único ministro a votar a favor de conceder ordem de hábeas corpus a Suzane Louise von Richthofen[4], jovem de classe média-alta paulista que foi julgada e considerada culpada pelas mortes dos próprios pais.

Em 2007 quando foi responsável por conceder dois habeas corpus[5] a Antônio Petrus Kalil - o Turcão - acusado de explorar caça-níqueis. O mesmo havia sido preso pela Polícia Federal por duas vezes. Turcão foi preso pela terceira vez em 29 de novembro de 2007 pelo mesmo delito. E em dezembro de 2008 foi o único ministro a não receber as denúncias para a investigação criminal do seus conterrâneos envolvidos nos esquema de corrupção da chamada máfia dos caça-niqueis. Segundo ele não há evidência alguma que justifique a investigação. O STF aceitou a denúncia do MP e irá investigar os membros do judiciário que estão envolvidos no escândalo e já afastaram o desembargador Paulo Medina de suas funções públicas.

Foi o único ministro a votar pela obrigatoriedade de diploma para o exercício do Jornalismo no país, extinta após 40 anos. Marco Aurélio teve o "voto vencido" no dia 17 de junho de 2009

Tirado do wikipedia e tem tb ue O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello, parente do ex-presidente Fernando Collor, é um escárnio por natureza.

Ele também é presidente do Tribunal Superior Eleitoral e agora acusa o governo federal de lançar o programa Territórios da Cidadania mirando as eleições deste ano.
esse é do http://emerluis.wordpress.com/2008/02/29/marco-aurelio-mello-o-escarnio-da-elite-brasileira-em-pessoa/

Anônimo disse...

É tudo muito triste neste caso.
A imagem do Brasil e dos brasileiros sai prejudicada com tudo isso.

Anônimo disse...

assinei agora a petição, vou divulgar pros meus amigos e nos grupos que participo. o link tá com erro. o certto é http://www.conjur.com.br/2008-nov-03/americano_briga_brasileiro_guarda_filho

Anônimo disse...

acabei de ler.muito boa a matéria da conjur. cada vez que o pai veio ao Brasil pra visitar o filho sean, o tal do joão paulo lins e silva deu um jeitinho de sumir com o garoto. é um sacana sem nenhum coração. isso deve ser um joguinho pra ele.

Elida Kronig disse...

Oi, últimos 3 "Anônimos" (parece ser a mesma pessoa, estarei enganada?)

1. Grata pela observação quanto ao link mas não sei como editar os comentários.

2. É, o caso todo é muito triste. Queria muito ver como o João Paulo Lins e Silva reagiria se sequestrassem a filha dele e o sequestrador ganhasse o direito sobre a criança. Ele está sendo muito egoísta e insensato, já que o Sean não é filho dele.

3. Imagina se vira moda todos resolverem que tem ligação afetiva com os filhos dos outros e resolvem fazer a mesma coisa. É um absurdo, criança não é um objeto qualquer, como as ações dele refletem.

4. Por qualquer lado que se olhe, a posição do João Paulo Lins e Silva e a da avó, visivelmente manipulada pelo João Paulo, são as piores possíveis. Creio ser esta também a postura daqueles que tiveram uma boa educação, baseada em valores morais.

Enfim, volto à questão: como o João Paulo se sentiria se sequestrassem a filha dele e o sequestrador tivesse o pleno direito sobre ela só porque a menina mostra-se adaptada à nova situação?

Penso que o David Goldman só encontrará sucesso quando usar as mesmas armas do adversário: a sacanagem. Aguardar a integridade da justiça brasileira? Vai continuar sem o direito de ser pai do próprio filho.

Falando sério? Esse assunto me enoja! Apesar de considerar-me patriota, em relação a esta história, sinto é muita vergonha de ser brasileira.

Beijinhos carinhosos